sexta-feira, fevereiro 28, 2003

quem quiser dizer-me alguma coisa:
o meu mail está ao fundo à direita no bonequinho que escreve
os comments vão de férias por um tempinho, por coisas que eu cá sei

domingo, fevereiro 23, 2003

As fadas

As fadas... eu creio nelas!
Umas são moças e belas,
Outras, velhas de pasmar...
Umas vivem nos rochedos,
Outras, pelos arvoredos,
Outras, à beira do mar...

Algumas em fonte fria
Escondem-se enquanto é dia,
Saem só ao escurecer...
Outras, debaixo da terra,
Nas grutas verdes da serra,
É que se vão esconder...       



Antero de Quental (extracto)

(para a bgi)

sábado, fevereiro 08, 2003





Canção de Embalar


Dorme meu menino a estrela d'alva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será p'ra ti
Outra que eu souber será p'ra ti

Outra que eu souber na noite escura
Sobre o teu sorriso de encantar
Ouvirás cantando nas alturas
Trovas e cantigas de embalar
Trovas e cantigas de embalar

Trovas e cantigas muito belas
Afina a garganta meu cantor
Quando a luz se apaga nas janelas
Perde a estrela d'alva o seu fulgor
Perde a estrela d'alva o seu fulgor

Perde a estrela d'alva pequenina
Se outra não vier para a render
Dorme qu'inda a noite é uma menina
Deixa-a vir também adormecer
Deixa-a vir também adormecer


josé afonso - cantares do andarilho

sexta-feira, fevereiro 07, 2003

quarta-feira, fevereiro 05, 2003


eu sou bruxa, rogo pragas
pudera eu desatá-las


eu sou bruxa e adivinho
mas não sei adivinhar
as voltas do baracinho
em que te foste enredar

eu sou bruxa e adivinho
hoje só queria saber
desatar o baracinho
com que te foste prender

(tarrenego salamurdo
tarrenego bichomedo
que seja claro o escuro
que tenha paz e sossego)